segunda-feira, 15 de agosto de 2016

Sexo com o Diabo: dormindo com o inimigo





Eu, Maria de Fátima da Cruz Carvalho, nasci em 9 de junho de 1960, em uma ilha chamada São Tomé e Príncipe, uma ex-colônia portuguesa. Em 13 de maio de 1962 cheguei a Portugal em um navio chamado Guanza. Cheguei a Lisboa, capital de Portugal, e nunca mais voltei àquela ilha. Um dia gostaria de voltar lá, pois é muito bonita. Com a minha mãe aprendi o dialeto da ilha de São Tomé e também entendo o dialeto de Príncipe. Depois de ter chegado a Portugal, fui morar na margem Sul do Tejo (chamada de Cruz de Pau), e nessa localidade cresci. A decisão escrever um livro (Sexo com o Diabo) foi justamente para que pessoas que sofrem do mesmo problema que eu sofri possam saber o caminho a seguir. Foi a minha neta Melanie, com apenas 3 anos de idade, que me alertou para a armadilha que o tal anjo/demônio estava tramando contra a minha família. Na inocência dela, me disse: "Vovó, um monstro costuma entrar no meu quarto, me fazendo medo”: Ela me alertou. Era ele (o anjo/demônio). Eu pedi a Deus coragem porque eu tinha vergonha de contar ao mundo. Deus me deu coragem e tirou essa vergonha. Que seja uma bênção! 


1. APARECIMENTO E PACTO


Noite escura, sinto medo. Um frio intenso. Nó na garganta. Quero ir ao banheiro, mas se eu descobrir a cabeça ele vai me agarrar. Há um homem vestido de branco atrás da porta. Tudo começou quando eu ainda era criança. Tinha seis anos de idade. Dormia sempre com a cabeça coberta. Todas as noites um homem escondia-se atrás da porta do meu quarto. Nunca conseguia dormir. Sentia muito medo dele se apoderar de mim. Suava, tremia. Esperava minha mãe acordar para que eu pudesse correr, assim que ela acendesse a luz do corredor. Minha mãe sempre se levantava cedo. Muitas vezes, minha mãe me mandava para a cama novamente, mas eu já não voltava. Não tinha coragem. Desta forma, passava mais uma noite sem descanso. Eu era uma criança de várias personalidades. É muito importante que os pais prestem sempre muita atenção às crianças, principalmente quando elas estão falando sozinhas e dizem que têm um amigo imaginário. Eu, desde criança, mudava de personalidade. Às vezes, sem razão aparente, sentia-me triste, sem saber o motivo. Vivia sempre com medo de a noite chegar e ter que ir para a cama. E desta forma fui crescendo. Em uma certa noite de verão, muito quente, eu transpirava muito. Eu, com a cabeça coberta com o lençol, tentava, bem devagar, descobrir a cabeça, mas logo me veio a imagem do tal homem que tentava se aproximar de mim. A essa altura, já estava com 12 anos de idade. Nessa mesma noite, eu decidi que teria de ir ao banheiro; estava realmente muito calor. Descobri minha cabeça e o vi se aproximar de mim. O homem, desta vez, estava todo vestido de preto; ele sentou-se em minha cama e disse-me: "Eu sou o teu anjo da guarda. Se fizeres tudo o que eu te disser, terás sucesso, dinheiro, fama e tudo o que quiseres”: Eu respondi “sim”. Levantei-me ainda trêmula e fui ao banheiro. A partir daquele momento, não tive mais medo (dele). Em breve continuarei a história seguindo os capítulos: 1. Aparecimento e pacto, 2. O começo 3. Matrimônio infernal, 4. A traição, 5. Terror pela manhã 6. Possessão maligna: manhã sangrenta 7. Possessão (fuga?) 8. A queda, 9. Possessão sexual: dormindo com o meu maior inimigo, 10. Ataque à minha mãe, 11. O caminho, a verdade e a vida, 12. O abismo, 13. O caminho, a porta, a saída e 14. Rumo à vitória.



Nenhum comentário: